Mulheres na TI: especial Dia da Mulher

Mulheres na TI: especial Dia da Mulher

O dia de hoje, 8 de março, existe para celebrar as conquistas sociais, econômicas e políticas de todas as mulheres ao longo da história, mas principalmente, é uma excelente oportunidade para debatermos o longo caminho que ainda temos pela frente para um mundo mais justo e seguro para todas. E é por isso que hoje vamos falar sobre as mulheres na TI.

Durante a história do desenvolvimento das tecnologias que usamos até hoje, diversas mulheres foram autoras de grandes feitos e responsáveis pelo nosso avanço. Mesmo assim, elas nem sempre receberam o devido crédito por suas obras. Hoje já conhecemos um pouco mais da história destas grandes inventoras e heroínas, como Ada Lovelace, Grace Hopper ou até Marie Curie, mas ainda temos muitas mulheres que precisam de ajuda nas batalhas de suas jornadas profissionais, acadêmicas e de vida.

Segundo dados apresentados pelo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério da Economia, nos últimos cinco anos, tivemos um crescimento de 60% na representatividade feminina na área de TI, passando de 27,9 mil mulheres para 44,5 mil.

Apesar da taxa de crescimento ser consideravelmente alta, isso ainda representa apenas 20% do total de profissionais da área no Brasil. Uma perspectiva positiva atualmente aponta que se o crescimento permanecer nesse mesmo ritmo, é provável que, em dez anos, a participação das mulheres no mercado de trabalho brasileiro represente uma maior porcentagem do que a masculina, em diversos setores. É o que diz o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea).

Por mais que os estudos apontem para um cenário relativamente positivo e em crescimento, é necessário que as mudanças continuem a acontecer e sejam constantemente reforçadas, levando o diálogo para dentro das empresas e incentivando cada vez mais a presença feminina na tecnologia.

É importante lembrar que a inspiração muitas vezes vem do exemplo! Ao ver uma mulher conquistando um cargo importante, outras se sentem motivadas e inspiradas a também trilhar esse caminho.

Exemplos do passado

Falamos de Ada Lovelace e Grace Hopper anteriormente, mas você conhece um pouco de suas histórias, invenções e conquistas? Aprenda um pouco sobre algumas das grandes mulheres da tecnologia abaixo:

  • Ada Lovelace (1815 – 1852): A Condessa de Lovelace foi uma matemática e escritora inglesa. Hoje é reconhecida principalmente por ter escrito o primeiro algoritmo para ser processado por uma máquina, a máquina analítica de Babbage. Ela desenvolveu os algoritmos que permitiam a máquina computar os valores de funções matemáticas, além de publicar uma coleção de notas sobre a máquina analítica. Por esse trabalho, é considerada a primeira programadora de toda a história.
  • Grace Hopper (1906 – 1992): Chamada de “Amazing Grace” por seus tantos feitos, foi almirante e analista de sistemas da Marinha dos Estados Unidos nas décadas de 1940 e 1950. Além de ser a criadora da linguagem de programação de alto nível Flow-Matic – base para a criação do COBOL, foi uma das primeiras programadoras do computador Harvard Mark I, em 1944. Para completar, Grace também é conhecida pela teoria de ter cunhado o termo “bug” para designar uma falha em um código-fonte, depois de achar um inseto morto causando transtorno em sua máquina.
  • Hedy Lamarr (1914 – 2000): Foi atriz e inventora austríaca, radicada nos Estados Unidos. Em 28 anos de carreira, participou de mais de 30 filmes e fez uma importante contribuição tecnológica durante a Segunda Guerra Mundial, uma co-invenção com o compositor George Antheil, um sistema de comunicações para as Forças Armadas dos Estados Unidos e que serviu de base para a atual telefonia celular – e que a fez ser considerada como a mãe do telefone celular. Em reconhecimento do valor de seu trabalho e da importância da tecnologia por ela inventada, seu nome foi postumamente inserido no National Inventors Hall of Fame, em 2014.
  • Marian Croak (1955): Doutora em psicologia e análise quantitativa pela Universidade do Sul da Califórnia, ela foi Vice Presidente Sênior da área de Pesquisa e Desenvolvimento da AT&T, onde ela e seu time trabalharam na tecnologia hoje conhecida como Voice Over IP, responsável por possibilitar nossas comunicações via áudio e vídeo na internet. Hoje ela é vice-presidente de Engenharia do Google, onde tem trabalhado para expandir o acesso ao serviço em mercados emergentes.

Mulheres na TI: um futuro brilhante

Em um levantamento global da consultoria KPMG, publicado no fim do ano passado, podemos observar que a América Latina tem mais mulheres em posições de liderança em tecnologia do que países com uma agenda de diversidade muito mais avançada, sendo significativamente maior do que os 4% de representatividade feminina nestas funções em países como o Reino Unido, e superior a média global de 11%.

Hoje em dia, existem diversas empresas que têm apoiado a diversidade dentro da tecnologia, uma vez que elas perceberam que o cenário está em ritmo de mudança – seja com vagas direcionadas para mulheres, treinamentos e capacitação, melhorias de condição trabalhistas e mais.

Que bom que temos um futuro brilhante pela frente, mas ainda é cedo para comemorar. Devemos levar informação e oportunidade ao maior número de pessoas para conscientizar e debater sobre o tema, participando de forma ativa na criação de espaços que sejam justos e seguros para todos. Precisamos lembrar que a celebração das conquistas das mulheres e luta por seus direitos não deve começar e terminar apenas hoje, e deve sim durar pelo ano todo, e pelo futuro adiante.



Gostou do artigo? Compartilhe.

Share on linkedin
LinkedIn
Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp

Faça parte da nossa lista de emails!