Sobre ataques: ataque de negação de serviço (DoS)

Sobre ataques: ataque de negação de serviço (DoS)

Dando continuidade a nossa série de artigos sobre ataques utilizados por cibercriminosos, trazemos hoje o ataque de negação de serviço, também conhecido como DoS. 

Este tipo de ataque não se trata especificamente de uma invasão do sistema, mas de torná-lo inválido devido a uma sobrecarga. Fique conosco até o final e saiba como acontece um ataque de negação de serviço (DoS).

Vamos lá?

Site indisponível: Como acontece um ataque de negação de serviço (DoS)?

Vivemos em um mundo cada vez mais tecnológico e digital. Uma vez que a presença online cresceu e passou de um simples diferencial para uma necessidade, surgiu também a urgência de se manter mais protegido em ambientes virtuais.

Na grande maioria dos casos, a manutenção da segurança digital é muito mais barata e estrategicamente benéfica do que a cobertura dos danos e prejuízos para as empresas depois de um incidente de segurança. Tanto é que as perdas globais causadas por crimes cibernéticos chegaram a US $6 trilhões em 2021, de acordo com informações da União Internacional das Telecomunicações (UIT).

A cada caso que nos é noticiado, percebemos que os ataques tornam-se cada vez mais sofisticados e renovam-se em velocidade impressionante, enquanto que organizações estão ficando mais vulneráveis e precisam de ajuda para reforçar seus processos de segurança da informação. O primeiro passo para melhor se proteger é conhecer melhor as ameaças que mais atingem o negócio e entender como se proteger de eventuais ataques.

Um dos incidentes mais disparados durante os últimos anos, principalmente em tempos de pandemia, foi o já conhecido ataque de negação de serviço. O DoS (do inglês, Denial of Service), tem como objetivo principal sobrecarregar as atividades de um determinado servidor web, provocando lentidão e até tornando os sites indisponíveis para acesso.

Em um ataque DoS, apenas um atacante é envolvido no crime, sendo um único computador responsável por fazer o envio de diversos pedidos de pacotes para o alvo, ao contrário de um ataque DDoS (Distributed Denial of Service), que é iniciado a partir de várias máquinas.

Diferentemente dos ataques convencionais, em que o atacante introduz um vírus ou malware para roubar dados ou danificar arquivos, o ataque DoS tem outras finalidades: deixar os servidores e sites lentos, ou “negar o serviço”, tornando-o indisponível.

Para isso, os agentes maliciosos consomem a largura de banda do servidor alvo, segmentam a conexão de rede com firewalls, servidores de aplicativos ou outros componentes da sua própria infraestrutura. Tudo isso para encontrar vulnerabilidades que potencializam a interrupção da transmissão de dados entre hosts.

Nesse tipo de ataque, o criminoso pode apresentar diversas motivações: prejudicar um concorrente que está se destacando no mercado, para testar a capacidade computacional do alvo do ataque, por ativismo ou mesmo por simples diversão – não é incomum que jovens curiosos ou mal intencionados testem suas habilidades “derrubando” sites por aí.

Como se proteger de um ataque DoS?

Sabemos que um ataque DoS visa sobrecarregar um servidor, logo, ter uma infraestrutura robusta e contar com uma largura de banda generosa pode ajudar a evitar que as tentativas de invasão sejam efetivas.

Firewalls também são uma importante ferramenta, uma vez que eles controlam os acessos e evitam que esse tipo de solicitação em massa possa chegar ao seu servidor. Há ainda diversos controles de segurança e monitoramento de tráfego que podem ajudar a detectar e lidar com o ataque. Se sua empresa costuma fazer uso de formulários, uma dica é incluir o reCAPTCHA, recurso muito utilizado para evitar que bots façam um número massivo de requisições e comprometam a sua rede.

Uma outra opção é ter sempre rotas alternativas, caso a conexão principal seja afetada. Faça uma auditoria periódica das máquinas à procura de portas abertas que podem ser exploradas ou programas não-autorizados – contratar um Pentest para “caçar” vulnerabilidades é um investimento inteligente nestes casos.

Mas, no topo da lista de opções para proteger seu negócio de ataques DoS, com certeza está a utilização de um Web Application Firewall (WAF). Principalmente se o WAF contar com anti-DoS e anti-DDoS (abordaremos este outro tipo de ataque mais para frente).

E lembrando: a XLabs Security conta com um time de pesquisadores de ameaças para buscar vulnerabilidades através de Pentests, além de dispor do serviço de Web Application Firewall (WAF) altamente confiável para proteger aplicações web. Solicite agora mesmo seu trial de 15 dias e teste a eficácia do nosso WAF!



Gostou do artigo? Compartilhe.

Share on linkedin
LinkedIn
Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp

Faça parte da nossa lista de emails!